O Empreendimento

O Aproveitamento Múltiplo de Manso – APM Manso – está localizado no Rio Manso, principal afluente do rio Cuiabá, no município de Chapada dos Guimarães, distante 103 km da cidade de Cuiabá, capital do Estado de Mato Grosso e tem uma potência instalada de 210 MW, com quatro unidades geradoras de 52,5 MW, gerando energia firme de 92,0 MW/ano. O seu reservatório atinge áreas nos municípios de Chapada dos Guimarães e Nova Brasilândia.

O projeto foi iniciado em 1980 pelo Governo do Estado de Mato Grosso, com o objetivo inicial de controlar as cheias do rio Cuiabá, que agregavam pesados ônus às comunidades ribeirinhas, por várias vezes atingidas, implicando em grandes custos sociais. Posteriormente, foi agregado ao projeto o aproveitamento hidrelétrico, objetivando atender a grande carência de energia elétrica da Região Centro-Oeste. No período de 1982 a 1984, a ELETRONORTE desenvolveu o projeto básico do empreendimento e os principais estudos de impacto ambiental – EIA/RIMA, que foram aprovados em Audiência Pública, tendo sido emitida Licença de Instalação em março de 1988 e renovada em outubro de 1998.

As obras da hidrelétrica foram então iniciadas em setembro de 1988, com previsão de geração da primeira unidade para dezembro de 1992. Naquela ocasião, os recursos financeiros para o empreendimento seriam aportados via Convênio Interministerial. Como o aporte de recursos não se concretizou, a ELETRONORTE se viu obrigada a paralisar as obras em novembro de 1989.

Posteriormente, em 1996, na Concorrência Pública CC-CO 20.107/96 para conclusão e exploração do APM Manso, foi vencedora a PROMAN, cuja composição acionária estava distribuída entre as empresas Construtora Norberto Odebrecht S.A. e Servix Engenharia S.A.., a qual assinou juntamente com a ELETRONORTE o Contrato SUP.1.7.4.0212 para constituição do Consórcio APM Manso em 18/12/97.

Em 26 de abril de 1999, a ANEEL transferiu para FURNAS os ativos e passivos da ELETRONORTE referentes ao APM Manso, passando assim o Consórcio a ser uma associação entre FURNAS (líder) e PROMAN, para a sua implementação e operação.

A primeira unidade geradora entrou em operação em novembro de 2000 e a última em maio de 2001.

Por força do terceiro aditivo ao contrato de constituição de consórcio, ficou estabelecido entre as partes que a operação e manutenção da Usina ficará sob a responsabilidade de Furnas.